domingo, 29 de novembro de 2015

Sound FX - Unlocking the Creative Potential of Recording Studio Effects - Parte 2

1.3 Amplitude versus Distância

A elasticidade do ar garante que quaisquer alterações localizadas na pressão do ar perto de uma fonte sonora causará uma reação em cadeia de mudanças de pressão de ar, acima e abaixo da pressão do ar corrente, em torno de toda essa fonte. mesmo uma ligeira perturbação da pressão do ar irá se propagar para o exterior. A fim de descrever o estado de pressão de ar ao longo de uma certa distância, um par de eixos será necessário: pressão do ar em função da localização versus pressão de ar em função da distância.

Em um determinado instante no tempo, realizamos um gráfico da pressão de ar em função da sua localização no espaço. A figura 1.5 retrata este instante. Voltando à figura 1.1(a), onde um ilustrador estrategicamente não conseguiu marcar nenhuma eixo, pode-se concluir que as curvas que irradiam para fora da fonte sonora pode ser amplitude versus tempo ou a amplitude versus a distância. Os anéis da Figura 1.1(b) representam o som de uma forma ligeiramente diferente. Este esboço familiar do som é um instantâneo da amplitude vs distância, mostrando apenas os picos positivos de uma onda de propagação, ou apenas as excursões negativas, ou apenas os zero crossings (pontos onde a amplitude é igual a zero). Chamados de Isobars, os anéis de som irradiando para fora da fonte de som indicam a distribuição espacial dos pontos de pressão equivalente. Esta é uma imagem útil para engenheiros de áudio; que também funciona muito bem em quadrinhos.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Sound FX - Unlocking the Creative Potential of Recording Studio Effects - Parte 1

Sound FX - Unlocking the Creative Potential of Recording Studio Effects

"Catch a wave
and you're sttin' on top of the world"
- “Catch a Wave”, The Beach Boys, Surfer Girl (Capital Records, 1963)
Peça a um cartunista para desenhar um som e provavelmente ele fará algo bastante semelhante à Figura 1.1. Essas representações do som têm mérito técnico.
Quando dedilhamos um violão, golpeamos um tambor ou sopramos um trombone, sabemos que iremos produzir som. O movimento do tampo do violão, a vibração da pele do tambor e a ressonância do ar dentro do encanamento do trombone, em última análise, dirigem o ar para os nossos ouvidos e isso faz com que os nossos tímpanos vibrem. Ouvimos a vibração do ar próxima a nós devido a uma cadeia de eventos que se inicia em algum instrumento ou fonte sonora, que está a alguma distância. Isso é uma outra questão, mas provavelmente esperamos que o som produzido seja música.

domingo, 15 de novembro de 2015

Logic Pro Sem Segredos

Logic Pro Sem Segredos - Terceiro Volume já em produção. Veja o primeiro vídeo.
Plug-in Drummer (parte 1).

Mais informações em www.musicaudio.net.


sexta-feira, 15 de maio de 2015

Tracktion 4 agora é gratuito - Uma DAW multiplataforma (Windows, Mac e Linux)

Tracktion 4 é uma DAW multiplataforma (Windows, Mac e Linux) que funciona a 64 bit, pode carregar VSTs e também trabalhar com arquivos de vídeo —algo único entre os sequenciadores freeware—. Depois de um tempo de adaptação à sua particular interface de usuário, você poderá fazer grandes coisas com ele.

Depois de passar por um simples processo para baixar uma cópia totalmente funcional do Tracktion 4:

Veja a seção oficial de download e baixe o instalador do "Tracktion 4 Free".

Regístre-se como usuário.

Instale-o e ative-o com o nome de usuário e senha criado no passo anterior.

Mais informação | Tracktion



quinta-feira, 14 de maio de 2015

Soundation Chrome Studio, fazendo música na nuvem


Soundation da PowerFX Systems foi um dos primeiros sequenciadores baseados em web que teve ambições de ser mais que uma funcionalidade básica. Surgiu em outubro de 2009, e vem se desenvolvendo constantemente até formar uma comunidade de 1.200.000 usuários registrados e 420.000 canções.

Agora chega uma versão melhorada, a Soundation Chrome Studio, que se apresenta como um ambiente de produção musical inteiramente baseado na nuvem e, como seu nome indica, requer o navegador Google Chrome para funcionar.

Com ele podemos criar, publicar e compartilhar projetos de qualquer computador que esteja conectado à internet, sem necessidade de baixar nenhum software.
Também permite distribuir música no Spotify, iTunes e outros serviços.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Comparação entre os monitores Yamaha HS5, HS7 e HS8

Esta é a série Yamaha HS, completa, em suas duas cores, incluindo o subwoofer (que não entra neste teste comparativo)

Introdução

A Yamaha está presente em lugar privilegiado no mercado de monitores de estúdio desde 1978 com seus famosos NS10, até que deixaram de fabricá-los em 2001. Era uma caixa impressionante. Seu médio era tão definido que muitas pessoas se queixavam que eram cansativas ao ouvido. Sinceramente, acredito que isso era mais um problema de excesso de volume na hora de trabalhar — devido a pouca resposta desta caixa aos graves — do que à sua sonoridade, propriamente dita.
A gente queria das NS10 mais do que ela podia dar. Logicamente, se somente dispuséssemos delas no nosso estúdio, nunca seríamos capazes de reproduzir baixos e bumbos contundentes. Esta razão podia levar o técnico a subir e subir o volume de monitoração, buscando esses resquícios de graves que a caixa podia dar. Resultado: continuávamos com poucos graves, a sonoridade começava a distorcer ou então não reproduzir bem os transientes, e a fadiga auditiva batia à porta.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Alô, DJ´s!!! Mixxx 1.12 (a nova versão) continua grátis e ainda melhor

Dois anos já se passaram desde o lançamento da última versão do Mixxx, a versão 1.11. Esta semana está sendo lançada a versão beta do que o pessoal da Mixxx desenvolveu durante os últimos dois anos: Mixxx 1.12. Com um novo número de versão tão pequeno a atualização pode parecer pouca coisa, mas o certo é que o programa melhorou muitíssimo.



O Mixxx agora conta com uma interface totalmente renovada cujos skins são redimensionáveis, um dos quais nos permite visualizar as formas de onda empilhadas. A animação das formas de onda foi notavelmente melhorada, com uma suavidade de deslocamento de até 60fps – ajustável nas opções –. A representação gráfica das formas de onda agora é multicolor e altera seu tamanho e cor conforme realizamos modificações no mixer. Temos cinco novos efeitos, podemos escolher os pontos de corte da EQ, podemos visualizar o coverart da música, até quatro entradas micro estão disponíveis – para as festas com muitos DJs pesados –, detecção e alteração de tonalidade da música para os que gostam de fazer mixagem harmônica, melhorias na sonoridade ao usar pitchlock, melhorias no sistema de mapeamento MIDI, mixagem externa ou interna, uso simultâneo de diferentes interfaces de áudio, controle por DVS, gravação de sessões em diferentes formatos, streaming mediante Icecast e Shoutcast... E continua sendo grátis e Open Source.

Para que esta versão beta chegue a versão final os desenvolvedores precisam de muita ajuda. Sendo assim, se você quer ver um programa gratuito que faça frente aos pagos, ajude! Primeiro de tudo baixe e instale o Mixxx – para Windows, OSX ou Ubuntu– neste link. Reporte os bugs neste outro link, e dê qualquer tipo de feedback neste outro. Caso se interesse em colaborar na tradução do programa ou de sua documentação, consulte este link.



quinta-feira, 23 de abril de 2015

A Função Side-Chain no Cubase

Plug-ins do Cubase que tem Side-chain:
  • Vintage Compressor
  • Compressor
  • Expander
  • Gate
  • Auto Pan
  • Chorus
  • Studio Chorus
  • Flanger
  • Phaser
  • Tremolo
  • Vibrato
  • Mono Delay
  • Ping Pong Delay
  • Stereo Delay
  • WahWah



Passo a passo

Comece inserindo um plug-in capaz de realizar a função side-chain em uma trilha. A opção side chain está marcada em amarelo na figura a seguir.


Isso ativará todas as trilhas da sessão (incluindo grupos de trilha) para que roteiem o áudio para o plug-in.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Airtime - Crie a sua própria Radio Online Grátis

Conheça o Airtime, uma ferramenta gratuita para você criar o seu próprio servidor de web radio no seu computador.

Quem nunca teve o sonho de ter a própria rádio? É... talvez, esse não seja o sonho de todo mundo, mas já foi o meu um dia e acredito que se você está lendo este artigo provavelmente tem interesse também, vamos conhecer a ferramenta.



Conheça o Airtime


Airtime é o nome de um projeto de código aberto para a criação de radios online, ele era desenvolvido pelaSourceFabric anteriormente sob o nome de Campster mas em 2011 a empresa decidiu abrir o programa possibilitando que a comunidade pudesse melhorá-lo e foi exatamente isso que aconteceu, dentre as principais funcionalidades destacamos:

- Interface muito intuitiva e bem organizada
- Permite organizar  todas as musicas
- Criar  playlists
- Pesquisar musicas
- Capacidade de editar os metadados das músicas diretamente do Airtime
- Agendamento
- Ferramentas de streaming integradas
- Disponibilização de um calendário para organização da “agenda musical”
- Ferramentas de DJ, integração com o Soundcloud

Fonte: Diolinux - 
por Dionatan Simioni
Blogueiro, Youtuber, Escritor e Professor, usuário de Ubuntu e Android, apaixonado por games e tecnologia.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

3 Maneiras de lidar com sobreposições de regiões no Logic Pro




Regiões sobrepostas podem fazer com que os objetos e trilhas do seu arranjo se comportem de uma maneira que você não deseja, o que pode ser frustrante, especialmente quando você sabe que colocou ou editou uma região exatamente onde você queria. O Logic Pro oferece várias formas de lidar com sobreposições de região e, neste artigo, vamos dar uma olhada em três delas.
Todos os métodos utilizados abaixo são bons, cabe a você escolher o método que melhor se adpate à sua necessidade específica.

Os três métodos funcionam da seguinte forma:
  • O Método 1 ajusta a duração das regiões
  • O Método 2 cria uma nova trilha incluindo todos os plugins no canal original
  • O Método 3 permite uma transição suave entre as regiões usando a ferramenta crossfade

Como trabalhar com grupos VCA/DCA

VCA é a abreviação de Voltage Controlled Amplifier que, traduzido, significa "amplificador controlado por tensão". Nos modelos de mesas de som de PA analógicas correspondem a uma série de potenciômetros lineares que permitem agrupar um conjunto de faders de canal específicos e controlar seu nível de maneira proporcional e direta ao do VCA determinado. A diferença para um subgrupo, é que o VCA incrementa ou diminui, para entendermos, a mesma quantidade de dBs em todos os canais, enquanto que o subgrupo não tem esse comportamento direto aos canais, e sim, modifica o sinal resultante.

Um exemplo prático para ver a diferença entre o VCA e o subgrupo é que se incrementamos em 10 dB o sinal de um VCA para um determinado grupo de canais, todos eles incrementam 10 dB de maneira individual porque também modificamos todos os envios post-fader (efeitos, majoritariamente), enquanto que se fazemos o mesmo com um subgrupo, o que incrementamos são 10 dB na mixagem dos ditos canais, que na prática continuam com o mesmo nível de fader individual. De forma contrária, os subgrupos podem ser processados, enquanto que o VCA não é um canal por si só. Nas consoles digitais, os VCA são controlados mediante domínio digital, que na realidade são amplificadores controlados digitalmente — DCA em sua sigla em inglês —.

domingo, 29 de março de 2015

MuseScore 2.0 - Edição de Partituras - Grátis















Os desenvolvedores do MuseScoreestão anunciando o lançamento da segunda segunda versão deste editor de partituras depois de quatro anos de muito trabalho, foram mais de 400 pessoas trabalhando neste projeto.
A interface de usuário recebeu muitas melhorias, algo que é percebido logo quando se abre o programa com o novo "Start Center", que é um assistente que simplifica a criação de partituras. Também dispomos de uma nova janela Inspector que dá um acesso mais rápido às propriedades de cada nota e outros elementos, e paletas personalizáveis que agrupam os símbolos de notação que são mais utilizados. Por outro lado, o modo de vista contínua permite introduzir notas sem se ver limitado aos saltos de página ou linha.
Entre as novas ferramentas de edição destaca-se a funcionalidade de partes linkadas, gracas a qualquer alteração que realizemos na partitura se verá refletido automaticamente nas partes que selecionemos, e vice versa. Isso é só uma pequena mostra das novas características desta versão, entre as quais podemos citar um piano em forma de "toolbar" para facilitar a entrada de notas, maior flexibilidade para introduzir acordes com o uso de símbolos, um modo de repitch que permite alterar a altura tonal sem variar o ritmo e muito mais.
Contamos também com novos estilos e elementos de notação, e aqui encontramos outra funcionalidade importante: a incorporação de tablaturas para os guitarristas e instrumentistas de corda. Os diagramas de trastes, o baixo cifrado e a notação slash são outras novidades a serem consideradas.
As melhorias continuam no layout, na reprodução, na importação MIDI e na usabilidade.
As partituras criadas no MuseScore 1.3 devem ser abertas sem problemas no MuseScore 2.0, logo, podemos dizer que esse upgrade é algo seguro de ser feito.
Baixar MuseScore 2.0 (Windows, Mac OS X e Linux)

quinta-feira, 26 de março de 2015

19 apps para iOS que todo DJ deve testar ou, pelo menos, conhecer


Se você é DJ com certeza já de deu conta que nos últimos anos tem aparecido uma boa quantidade de aplicações para transformas iPads ou iPhones em um completo sistema de gravação, ou em uma ferramenta auxiliar que irá completar o seu setup de DJ. Grande parte dessas apps não passam de meras curiosidades para realizar experimentos sonoros não chegando nem perto de ser realmente algo profissional. Mas, com o tempo, isso tem mudado, tanto pela potência dos dispositivos, que a cada lançamento são velozes e poderosos, como também pela estabilidade e funcionalidade das aplicações que vão surgindo no mercado, chegando ao ponto de hoje em dia querermos incorporar um iPad no setup. A possibilidade de poder empregar interfaces de áudio e controladores MIDI da classe compliant, assim como alguns controladores e interfaces específicas de determinados fabricantes que chegaram a acordos com a Apple, têm elevado exponencialmente o interesse por usar os pequenos dispositivos da Apple, especialmente por aficionados, que com pouco investimento passam a ser sentir DJs. O interesse vai mais além de usar o iPad como substituto do computador e portanto como dispositivo del ordenador y por tanto como dispositivo que executa a reprodução das músicas, já que também podemos empregar o iPad como um completo controlador tátil para qualquer software software que tenhamos rodando no computador, como dispositivo para gravar as sessões ou como groovebox para acompanhar as mixagens.


É totalmente certo que um iPad não é um dispositivo que inicialmente foi especificamente projeto para DJs, mas os computadores também não eram e agora eles exercem um papel importante, chegando ao ponto de ser indispensáveis.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Little AlterBoy - Maipulação Vocal com auto-afinação - Grátis (por tempo limitado)

Little AlterBoy é um plugin de manipulação vocal, auto-afinação e pitchshifting da SoundToys, pode ser baixado gratuitamente até 28 de Março de 2015 — e além disso, você pode participar de um sorteio e ganhar todos os plugins e atualizações da SoundToys —. Os formatos são VST / AU / RTAS /AAX para Windows e Mac OS X.

HOFA 4U Meter-Fader-MSPan - Utilitário de medição e panning - Grátis

HOFA 4U Meter, Fader & MS-Pan é um utilitário de medição e panning atualizado a poucos dias que nos dá um apoio muito grande se a nossa DAW não possuir um canal de mixagem suficientemente completo. Oferece medição de pico EBU R128, fader de volume e um panner para aumentar a imagem estéreo. A função de medidor pode ser desativada para economizar CPU, que funcionará unicamente como controlador de ganho e pan..
Este plugin faz parte de um conjunto de três, e devem ser baixados juntos; os outros dois são: ProjectTime e Goniometer & Korrelator.
Baixar plugins HOFA 4U (Windows e Mac OS X, VST / AU / RTAS / AAX, 32 e 64-bit).

Drum Pro - Bateria Eletrônica - Grátis

Drum Pro de StudioLinkedVST é uma bateria eletrônica que possui 20 kits e 9 sons — incluindo os da TR-808 e 909 —. Cada som está mapeado à um pad virtual, que podemos controlar com um teclado MIDI ou drumpad externo. Cada pad tem seus controles de volume e pan, e também podemos ajustar o ataque, decay, sustain, release e volume globalmente. 
É um plugin gratuito, e pode ser ampliado comprando-se pack opcionais de diversos estilos.
Baixar Drum Pro (Windows VST e Mac VST/AU)

Genobazz R - Sintetizador de Baixo Gratuito

A Tek’it Audio está lançando a versão 1.3 do sintetizador de baixo Genobazz R — uma versão mais completa do também gratuito Genobazz —. Esta atualização traz consigo cinco novos presets e melhorias relevantes no DSP, a interface gráfica e a gestão de undo, assim como um novo manual do usuário.

Baixar Genobazz R (Windows VST)

domingo, 22 de março de 2015

UBUNTU STUDIO - Quem trabalha com áudio, vídeo ou gŕaficos tem que conhecer


Resultado de imagem para ubuntu studioDurante a instalação, é possível escolher o foco desejado para o PC, seja para imagens, vídeos ou músicas. Para os audiófilos, o ponto forte está no JACK, um servidor de áudio que permite interligar as ferramentas de produção de som, de uma forma parecida com o poderoso software comercial Reason. 


Resultado de imagem para ubuntu studio
Feito para quem trabalha com multimídia, essa variante não oficial do Ubuntu inclui montes de pacotes voltados para mexer em fotos, editar áudio e vídeo e compor músicas. é uma das poucas versões que vem em DVD, dado o número de programas incluídos. 



Resultado de imagem para ubuntu studio

Para edição multitrack, o software escolhido é o Ardour, um pacote bastante respeitado e que implementa recursos de programas como SoundForge e ProTools. 



Para imagens, o foco fica no GIMP, para edição, e no Inkscape, para desenho. Quem quiser editar objetos tridimensionais também conta com o Blender e o Ubutnu Studio também inclui o Scribus, para criação de páginas e impressos. Já para vídeos, os principais pacotes são o Open Movie Editor e o FFMPEG. Tudo isso, claro, pode ser instalado de forma independente no Ubuntu tradicional, mas a versão Studio é uma boa para evitar o download separado e contar com um sistema prontinho para a criação multimídia.

sábado, 21 de março de 2015

Manual Fruity Loops Studio 9 em português - Gratuito

Manual do Fruity Loops Studio 9 em português.

Para baixar clique aqui.

Finale Notepad 2012 - Grátis

O NotePad é uma versão do Finale, famoso software de notação musical. Esta versão NotePad permite a criação de partituras simples.






Operating System: Windows 7/Vista/XP
File Size:
License: Freeware (All Free software)
License Conditions:
Email registration required for Free download

quinta-feira, 19 de março de 2015

CURSO MUSICAUDIO PARA CUBASE - COMPLETO - MAIS DE 7H DE VIDEOS - GRÁTIS

Introdução à equalização

19/03/2015 por Guillermo Navarrete
traduzido por Germano Lins


Nesta primeira parte iremos falar sobre a história do equalizador. Crei que alguma vez todos nós nos perguntamos O que é um equalizador? Como e pra que é usado?
Todos os sons são produzidos por uma combinação de ondas sonoras de diferentes frequências que se deslocam pelo ar ao nosso redor. Na hora de gravar podemos medir o grau de fidelidade da reprodução das ondas sonoras compreendidas nesse som através da resposta de frequência. 
A resposta de frequência é a faixa de frequências que um dispositivo pode reproduzir ou gravar dentro dos limites de volume especificados. Utilizando a resposta de frequência podemos medir a qualidade de um determinado dispositivo. 
O que se conhece como resposta plana é o que geralmente consideramos como ideal. Sempre estamos buscando fazer a gravação o mais limpa possível, sem nenhuma distorção, mas frequentemente buscamos certa distorção e uma frequência de resposta modificada; é aqui onde aparece o processamento de áudio. Este processamento é a manipulação realizada pelo homem que pode ser necessária ou intencional por uma variedade de razões. O processamento pode fazer com que o som pareça mais real e cheio de vida, ou mais complexo e artificial.



Vejamos um exemplo: se estivermos em uma praia a uns 30 ou 40 metros de distância de onde rompem as ondas, o som que estas produzem nos chega um pouco velado, apagado, devido ao fato da praia, da areia, servir como um filtro. Se caminharmos em direção a água iremos reduzir a distância que nos separa gradualmente, iremos notar que o som não somente se altera como também é alterado o seu volume, ele fica mais alto, sua tonalidade também fica mais grave. Pois bem; a equalização, também conhecida como EQ (uma abreviação em inglês)), é o processamento criado pelo homem para reproduzir este fenômeno natural.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Curso para Cubase - A trilha Tempo

Dicas de Áudio para voz.


Conceitos e Técnicas de Mixagem em áudio - Efeitos - Compressores/Expanders, Limiters e Gates

4 COMPRESORES/EXPANDERS, LIMITERS e GATES

4.1 A faixa dinâmica

Antes de começarmos a operar com compressores e limiters devemos compreender o que significa o termo faixa dinâmica. A faixa dinâmica de um som é a faixa que compreende sua seção mais silenciosa e sua seção com mais volume. no caso de um gravador, trata-se da faixa entre seu ruído residual e o nível próximo a distorção. Você deve saber que uma orquestra sinfônica pode interpretar de forma muito suave ou de forma bem enérgica... uma orquestra então possui uma faixa
dinâmica bem ampla.


Os medidores superiores apresentam uma faixa dinâmica de 72 dB. Em um gravador cassete, a seção silenciosa estaria abaixo do ruído do gravador de fita, e tudo o que ouviríamos nesta passagem tranquilamente seria o famoso "hiss" do gravador de fita. A distância entre a seção mais forte até o ponto de distorção é chamado de "headroom" ("espaço livre"). Caso a distorção alcance os +6 dB,
teremos fatalmente um headroom de 4 dB. Para reduzir a faixa dinâmica poderíamos controlar toda a trilha com um fader e aumentá-lo  quando o volume fosse demasiado baixo e atenuando quando fosse
demasiadamente alto ou então utilizar um... compressor!

4.2 Compressores

Um Compressor pode alterar o sinal de entrada proporcionalmente (ratio) sinal de saída.


No diagrama acima, a "Unity gain" indica o nível que estamos introduzindo e o nível que está saindo. Com um ratio ou proporção de 2:1, quando o sinal está acima do limite, o sinal saliente se reduzirá
com esta proporção: 2 dB na entrada que são 1 dB de saída. Em casos mais drásticos como 20:1, que conhecemos como limitação, para cada 20 dB de ganho somente sai 1 dB de sinal. O compressor e o limiter podem ser utilizados em conjunto em uma só unidade, onde o compressor trabalha com uma faixa de 2 - 20: 1 enquanto que o limiter detém os picos de transientes extremos no sinal, com ratios de 15 - 20:1 o que é conhecido como Peak Limiter (limitador de picos).

Conceitos e Técnicas de Mixagem em áudio - Efeitos - Equalização

3 EQUALIZAÇÃO

Enquanto a compressão afeta a faixa dinâmica, a equalização (EQ) controla a faixa de frequências. A faixa de frequências de um som são apresentadas na tabela abaixo e se divide em quatro bandas.


A escala inferior da tabela apresenta as frequências a partir dos 16 Hz até 16 kHz (16.000 Hz). Quando os engenheiros de som falam de médios-altos, se referem a faixa de frequências de 1 kHz a 8 kHz, aproximadamente. A figura abaixo apresenta a típica curva de picos da EQ, ao redor de uma frequência central.


A frequência central está em torno dos 750 Hz e o aumento de ganho ou "Gain Boost" (aumento ou corte) está em torno de 18 dB. O "fator Q" é a largura das frequências afetadas pelo aumento e é medida em oitavas. Um "Q" alto oferece uma curva estreita e um "Q" baixo um curva mais suave.

Conceitos e Técnicas de Mixagem em áudio - Efeitos - Moduladores

2.5 Introdução aos moduladores

2.5.1 Phaser/Flanger

Quando um avião está passando podemos ouvir sua chegada e o som provocado por ele vai subindo de tom de acordo com a sua aproximação, ao passar por nós e se distanciar a tonalidade do som
produzido por ele volta a cair. Este efeito é conhecido como Doppler.

Imagine agora que você um delay muito "estreito" de cerca de 10 ms, mas que pode ser variado utilizando um modulador a partir de 0 ms até 10 ms e novamente a 0 ms, etc, seguindo adiante e para trás de acordo com o sinal original. Quando o delay é incrementado , o deslocamento de fase se incrementa e o efeito doppler provocará que o som soe com um tom mais baixo, de forma parecida a um avião que está se aproximando, e quando a modulação é decrescida com tempos de delays mais curtos , o deslocamento de fase provocará a subida da tonalidade, de forma parecida ao mesmo avião se afastando.

Este é o clássico som do phaser. O efeito foi originalmente criado com ondas curtas de rádios, onde um receptor recolhia um sinal que vinha de outro lugar e outro sinal cuja recepção era mais larga, e quando somava-se os dois sinais de forma conjunta no receptor , se somavam e subtraiam mutuamente causando um deslocamento de fase ou o efeito conhecido como "Comb Filter", que cria um efeito de varredura de tonalidade que agora associamos ao phaser,e por esta razão assim é
chamado este efeito. Os phasers alteram as relações de fase no som, utilizando recursos de deslocamento de deslocamento de fase. Os flangers são pertecem a mesma classe de efeitos, salvo que os flangers utilizam circuitos de deslocamento de tempo para obter o efeito. Os moduladores possuem os seguintes controles:

Conceitos e Técnicas de Mixagem em áudio - Efeitos - Delay

2 GRAVANDO COM DELAY

2.1 Tape Delay

O primeiro efeito Delay foi criado utilizando-se um gravador de fita. O que se segue é o diagrama da rota da fita em um gravador.



Primeiro, a fita passa pelo cabeçote apagador. Logo depois passa pelo cabeçote de gravação onde se registra o sinal na fita. Finalmente, passa pelo cabeçote de reprodução onde a mesma é reproduzida. O tempo necessário para que a fita passe desde a cabeça de gravação até a cabeça de reprodução determina o Delay. Caso a velocidade do gravador seja rápida, o tempo de Delay será curto, e logicamente quanto mais lento for a velocidade o tempo de Delay será maior. A velocidade da fita é determinada pelo próprio motor do gravador. Lá pelos anos setenta, os fabricantes de gravadores de fita acrescentaram recursos de velocidade variável em seus produtos. A este recurso foi dado o nome de "Varspeed". Com ele podíamos ajustar o tempo de delay, mediante o que estava sendo ouvido, a uma velocidade apropriada. Se pegássemos a saída da cbeça de reprodução e a retornássemos pela entrada do gravador obtínhamos as repetições cíclicas. Como somente era enviada uma pequena quantidade de sinal do primeiro delay, as repetições cíclicas caindo em seu volume, criando o clássico efeito Delay. Este controle se chamava "Feebback", ou seja, realimentação.

Conceitos e Técnicas de Mixagem em áudio - Efeitos - Reverberação

Efeitos

1 REVERBERAÇÃO

SAE Institute
Traduzido por
Germano Lins

Imagine alguém cantando em um ambiente espaçoso constituído de chão, paredes e teto de alvenaria. Para onde vai o som? O que o microfone consegue captar?




Cada som emitido pelo cantor é refletido nas paredes, chão e teto, o som emitido pelo cantor alcançará primeiramente o microfone, seguido das primeiras reflexões. Neste caso, a primeira reflexão virá do chão, depois a do teto, já que estas superfícies estão mais próximas, e após
as reflexões das paredes de ambos os lados, e finalmente as reflexões das paredes situadas em frente e atrás do cantor. Estas reflexões não se deterão neste ponto, seguirão seu curso sem cessar. Então virão as reflexões mais distantes, em que o som estará misturado com o som do teto, e o do chão e voltado ao microfone. O tempo que as primeiras reflexões levam para retornar ao microfone é proporcional ao tamanho da sala. O som viaja a 30 cm por milissegundo, considerando que o cantor está posicionado de uma forma equidistante entre as paredes laterais e estas estejam separadas por vinte pés, a primeira reflexão destas paredes será retardada por 20 ms. Caso o cantor esteja posicionado a vinte pés desde a parede do fundo, essas reflexões chegarão ao microfone após 40ms. Logo, as últimas reflexões começarão a chegar, mas graças a elas mesmas, seguirão gerando reflexões até estabelecer um campo reverberante em que nenhuma destas reflexões será distinguível e ocorrerá a verdadeira reverberação.


Como aumentar o som de um vídeo ?

Introdução

Você está vendo um vídeo gravado em seu computador, e percebe que o volume está muito baixo, mesmo virando o botão do som do computador até o máximo 
Você montou ou baixou um vídeo e na hora de assistí-lo em seu computador, ou em sua TV, o som estava muito baixo. No entanto, você já tentou aumentar o volume do seu leitor ou TV de todas as maneiras, mas continua com dificuldade em ouvir os diálogos e/ou a trilha sonora. 

Não precisa colar os seus ouvidos nos alto-falantes: você pode aumentar o volume editando o som, diretamente no vídeo. Assim, onde quer que você veja o seu vídeo, independentemente do seu hardware, o volume será mais alto. 

Para fazer essa alteração, você precisará do canivete suíço do vídeo VirtualDub, que é gratuito. O VirtualDub aplica efeitos nas imagens de um vídeo e na trilha sonora. 
Depois de mudar o volume, o som será comprimido e reinjetado em seu vídeo como se nada tivesse acontecido. 

VirtualDub (para PC)

O VirtualDub permite capturar um vídeo com as taxas de frame de sua escolha. Por exemplo, se você quiser uma taxa de 28,50, você pode digitar esse número... Não precisa arredondar. O acesso ao seu disco rígido também será otimizado se você solicitar mais do que o habitual. 

O VirtualDub também cria arquivos no formato AVI2 (que ignoram a limitação dos arquivos AVI de 2 GB). Você pode controlar a captura de vídeos, ou efetuar processamentos em tempo real, como a troca de fundo, a redução de ruídos ou a diminuição do tamanho do arquivo. 


Softwares de Mixagem de Áudio

Talvez os DJ, como você, estejam procurando um software que lhes convenha para animar as festas ? 
Acho que você encontrará o que procura, aqui: Nesta lista se encontram vários softwares (gratuitos ou não) de mixagem de áudio. Alguns deles são verdadeiras ferramentas profissionais, outros são mais modestos e se contentam em baixar playlists, propondo várias outras definições.... 




Gratuitos e/ou freewares

  • Musikcube
    • Idioma: Inglês
    • Sistema: Windows.
    • Descrição: Musikcube não é realmente um emulador de platina mas, um ótimo gerenciador de músicas para animar festas.
    • http://www.musikcube.com/




sábado, 14 de março de 2015

Thai Gongs VST by Alan ViSTa - Grátis

Thai Gongs é um conjunto de gongos cromático em forma de plug-in. São 39 samples estéreo a 24 bits, tomados da Biblioteca de Domínio Público da Universidade de Iowa — lá tem muita coisa boa e de graça, vale à pena conferir.
Nesse plugin temos três capas (layers) de velocity e a interface possui controle de tempo de release, faixa dinâmica de amplitude e volume master.
Baixar Thai Gongs (VST 32/64 bits para Windows e VST/AU para Mac OS X)

Svep - Efeito de modulação grátis

Svep

Aqui temos um efeito de modulação de aspecto simples, porém com resultados excelentes, e um plugin dedicado a sons gong cromáticos. Os dois estão disponíveis para Windows e Mac OS X.


O Svep é efeito de modulação da Klevgränd Produktion que já estava disponível para iOS como app pago e chega agora em formato plugin para Windows e Mac OS X. 
Na realidade ele pode soar como um chorus, um phaser ou um flanger, ainda que possa chegar a efeitos de modulação de tonalidade mais extrema. A interface se apresenta de  uma forma muito simples e minimalista, mas dá acesso suficiente aos parâmetros que importam nos convida à experimentação.
Baixar Svep (VST/VST3/AU a 32 e 64 bits para Windows e Mac OS X)


quinta-feira, 12 de março de 2015

Tutoriais de Áudio e Acústica

Estes tutoriais destinam-se a servir de apoio didático aos cursos na área de Música e Tecnologia do Departamento de Música da ECA-USP. O projeto está em andamento e qualquer contribuição no sentido de melhorar ou ampliar esse material será muito bem-vinda! Exceto quando houver indicação ao contrário, os texto são de autoria de Fernando Iazzetta (visite minha Home Page).O material contido nos tutoriais pode ser livremente utilizado desde que seja citada a fonte.




Índice

Introdução ao Autotune

Poucos programas revolucionaram tanto a forma de processar áudio como o Auto Tune. Aparentemente simples, usada corretamente, é uma ferramenta de valor incalculável na hora de afinar vozes e outros instrumentos solo.

Por sua expressividade e pela grande quantidade de matizes que apresenta, a voz é um dos elementos mais complexos de gravar numa canção. Antes da existência do Auto Tune, as gravações vocais eram sessões intermináveis em que se faziam centenas de tomadas, que se arrastavam por vários dias chegando ao esgotamento de todo o equipamento e sobretudo, do/a vocalista na busca da afinação perfeita de cada palavra. A Antares revolucionou tudo isso com o Auto Tune, um corretor de afinação inicialmente voltado para a voz. Aparentemente simples, seu correto manuseio é toda uma arte que reduziu consideravelmente o tempo de gravação de vozes. Neste tutorial veremos os controles disponíveis na versão 3 e suas técnicas básicas.

Funcionamento
O Auto Tune é um corretor de áudio monofônico, portanto não trabalha em modo polifônico. Está disponível em várias versões (DX, VST, TDM, RTAS, etc) multiplataforma. Possui dois modos de funcionamento: automático e gráfico. No modo automático, a correção da afinação é fetia através de uma referência à uma determinada escala dada, selecionável a partir de um menu ou com um controlador MIDI. No modo gráfico, a afinação pode ser "desenhada" através de um gráfico onde se "desenha" a afinação.

A seguir, descreveremos os principais controles do programa no modo automático.